Caixa de Crédito Agrícola Mútuo do Alto Douro

Ao longo da sua história, quase centenária, a Caixa de Crédito Agrícola Mútuo do Alto Douro, tem-se mantido fiel aos valores essenciais que estiveram na génese da criação do Crédito Agrícola em 1911, que consistia em promover a utilização de serviços e produtos financeiros, pelos agentes económicos sediados nas regiões mais recônditas do país e que deles precisavam para o desenvolvimento das respectivas actividades e, consequentemente, contribuindo para a melhoria das condições de vida das populações rurais e do aumento da riqueza nacional.

Tal desiderato foi conseguido, tal como hoje, através da captação dos recursos financeiros gerados pelas famílias e empresas locais e transformá-los em crédito aos particulares e empresas com actividade económica exercida na mesma área territorial.

Com os seus órgãos de gestão próprios dotados de autonomia local e a simplicidade que caracteriza os produtos e serviços que disponibilizamos aos nossos Associados e Clientes, tornam a relação mais próxima e assente na solidez da confiança, factores essenciais a que atribuímos a relevante dimensão dos activos que gerimos e fazem desta Caixa de Crédito Agrícola uma das mais importantes do país.

A Caixa de Crédito Agrícola Mútuo do Alto Douro abrange atualmente 8 concelhos, distribuídos pelos distritos de Vila Real e Bragança, e é o resultado de 5 processos de fusão por incorporação (o primeiro em 1993 e o último em Dezembro de 2008). A sua atividade é desenvolvida através de uma rede de 19 Agências Bancárias, 87 Colaboradores e gere ativos de aproximadamente 400 milhões de euros.

O nosso compromisso social passa por pensar novas formas, economicamente sustentáveis, de promover o bem-estar dos nossos Associados e Clientes, no quadro do desenvolvimento económico-social da nossa região, cuja prosperidade e vicissitudes partilhamos.

Compromisso que, a modernização das condições operativas, a solidez dos Fundos Próprios e a liquidez financeira de que esta Caixa de Crédito Agrícola desfruta, tem hoje, mais do que nunca, plenas condições para assumir.